Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

DA IMPORTÂNCIA DA CIÊNCIA DA RELIGIÃO

 

Afinal, qual a importância da Ciência da Religião para a sociedade atual?
Vem-nos a mente alguns pontos que podem servir de instrumento para ampliar o conhecimento dos vários grupos religiosos com os quais convivemos dentro de um mesmo contexto psicossocial e religioso.
Na sociedade pós-moderna, globalizada, leis têm sido criadas com o propósito de impedir que os indivíduos sejam discriminados por causa de vários fatores, como a opção sexual, religiosa, político-partidária, educacional, racial, etc. Dessa forma, o mundo tem-se tornado “uma aldeia global”, onde atitudes preconceituosas, discriminadoras não atingem apenas os locais em que foram praticadas tais ações. A sociedade mundial é atingida.
Cassirer (2001 p. 42) afirma que o conhecimento humano, na atualidade, nunca o homem foi tão problemático para si e para os seus, que em nossos dias. Produziu “conhecimentos antropológicos de ordem científica, filosófica e teológica” e, pouco sabe um do outro. Sua visão é critica, mas não é imparcial. “Não se possui mais qualquer idéia clara e coerente do homem, causada pela multiplicação das ciências particulares, mas em sua atuação confundem e obscurecem mais que elucidam”.
Santos (2002) afirma que o homem pós-moderno é um ser dividido entre sua vida secularizada, no papel do profissional liberal, do professor, do cientista, do homem do mundo negócios, das bolsas de valores, e, no entanto, é um indivíduo envolto num emaranhado de seitas, de misticismo que é um retorno ao período remoto da história, que crê na astrologia, no poder das pedras, nos mantras, etc.
No entanto, na Carta de Paulo em Romanos 12.1-2 lemos: "rogo-vos pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Esse é o vosso culto racional. E, não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja boa agradável e perfeita vontade de Deus."
Como indivíduos em processo de transformação, diria mesmo, em mutação, precisamos rever conceitos éticos e morais, dentro de uma perspectiva histórica, pois somos seres historicamente inseridos no nosso tempo, que deve olhar o passado para resignificá-lo e seguir adiante, sem repeti-los. Assim, o homem pós-moderno tem descoberto a duras penas, que não existe liberdade sem responsabilidade, que não pode se isolar, nem excluir-se ou excluir os outros, sob pena de não “existir autenticamente”.
Estudar os comportamentos dos diversos grupos religiosos em todos os lugares do planeta abre espaço para a conscientização que leva ao respeito mútuo e a convivência pacífica. Criar e ampliar as bases de cooperação em favor daqueles menos favorecidos. A medida que nos tornamos esclarecidos sobre o modo de viver e o modus operandi de cada grupo psicossocial e religioso evoluímos, livrando-nos de condutas preconceituosas e marginalizantes sem, no entanto, perdermos nosso referencial ético e moral. Lutando, dessa forma, contra o comodismo, a indulgência, ao comportamento alienado e subserviente, fazendo uma releitura desses comportamentos sociais e coletivos.
As Ciências da Religião numa relação transdisciplinares com outros saberes das ciências humanas e sociais, como a Teologia, a Filosofia, a História, a Antropologia, a Sociologia, a Psicologia, etc., amplia o leque de oportunidades acadêmicas, para os profissionais que trabalham com a educação, para líderes religiosos e outros grupos profissionais, possibilitando um diálogo e convivência. Possibilita ainda, uma releitura da realidade, fazendo-nos parar, sermos agentes de mudanças, que proporcione a avaliação de opções tanto para a vida acadêmica, profissional quanto nas relações interpessoais.
Olhar para o passado, curar as feridas, dar resignificação aos acontecimentos e seguir em frente, sentindo-nos como seres no mundo, inseridos no lugar em que vivemos, mas abertos as possibilidades de interagir com os que estão ao redor, nos mais variados graus de distância sem, no entanto, perdermos nossa identidade de cidadãos. Sendo pessoas éticas, com padrões morais elevados, ou a partir de princípios que possibilitem a busca por um viver autêntico, sem nos tornarmos presas e vítimas do nosso sistema de crenças.
  
BIBLIOGRAFIA
CASSIRER, ERNEST. Ensaios Sobre Homem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
SANTOS, João Ferreira. Os Desafios atuais da Teologia. Recife: Arte Gráfica, 2002.
 
 
 
Cristina Nóbrega
(aluna da Pós-Graduação em Ciências da Religião da FATIN com acesso ao Curso de Mestrado em Ciência das Religiões da Un. Lusófona)

 

 

Publicado por Re-ligare às 02:15
Link do post | Comentar | Favorito
3 comentários:
De Leiliane Barroso Duarte a 1 de Dezembro de 2008 às 15:45
Os professores tem que fazer os alunos entendem que estamos vivendo no mundo moderno, onde cada segue sua crença.
De Leiliane Barroso Duarte a 1 de Dezembro de 2008 às 15:52
Os professores tem que fazer os alunos entenderem que estamos vivendo no mundo moderno, onde cada um tome suas proprias decisoes.
De Lorayne Oliveira a 5 de Janeiro de 2009 às 16:59
Prezada Cristina Nóbrega,
Qual o papel que a ciência e a religião, dois inequívocos pilares do conhecimento humano, podem ter sobre os processos de desenvolvimento da sociedade brasileira?
Lhe convidamos a visitar o site www.cienciaereligiao.org.br e dar sua contribuição com opiniões, comentários e idéias sobre o desenvolvimento do Brasil, sob a ótica da ciência e da religião. Visite o nosso blog e nos contate. Teremos o máximo interesse em dar andamento a uma colaboração mútua. Cordialmente,
Lorayne Oliveira - Assistente do Projeto Ciência, Religião e Desenvolvimento.

Comentar post

.Mais sobre Ciência das Religiões

.Pesquisar

.Posts recentes

. Ψυχή, Psychē e Fado

. A PRESENÇA AUSENTE (três)...

. A CULTURA QUE NOS REDEFIN...

. Música e Emoções - Romant...

. Biomusicologia – Definiçã...

. Natal, naTAO

. Encontro com Manuel Frias...

.Arquivos

.tags

. todas as tags

.Links

.Links

blogs SAPO

.subscrever feeds