Terça-feira, 5 de Maio de 2009

Crescimento dos Conflitos Religiosos no Brasil


 

Os conflitos motivados por divergências religiosas têm se multiplicado no Brasil, país considerado modelo de convivência religiosa. 
 

Foi registrado em 30 de Abril de 2009, na 24ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro, a suposta agressão de uma Pastora da Igreja Assembléia de Deus a uma seguidora da “Umbanda”, religião brasileira oriunda de matrizes africanas. O fato ocorreu em Pilares, zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

A pastora Nádia Pereira teria utilizado um banco de madeira para atacar a umbandista Cirene Dark, 54, cardíaca, e ainda tentou atear fogo na vítima. O motivo seria uma homenagem que Cirene iria realizar a uma entidade da umbanda. A agressora é pastora e missionária da Igreja Assembléia de Deus de Jardim América e teria um programa diário em uma rádio em Mesquita, intitulado “Profetizando Vitória”.

Conforme noticiado pelo Jornal do Brasil Online1, o fato, ocorrido no interior da casa da vítima, foi caracterizado pela polícia como cárcere privado, lesão corporal ou tentativa de homicídio, tentativa de incêndio, intolerância religiosa e dano. 
 

A denúncia foi tornada pública pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, instituição do Rio de Janeiro que reúne seguidores de diversas religiões. Este é o terceiro caso atendido pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, onde seguidores da umbanda são agredidos fisicamente, segundo o Jornal O Dia Online. Este órgão jornalístico realizou enquete na Internet no dia do fato, quando a maioria das pessoas entendeu que fatos desta natureza ferem a imagem das igrejas envolvidas (ver Anexo I). 
 

Verdadeiramente, a conduta de intolerância praticada pela pastora é incompatível com as diretrizes pregadas pela maioria dos dirigentes evangélicos brasileiros. No entanto, verifica-se um crescimento dos conflitos religiosos no Brasil desde a agressão ocorrida na véspera do dia 12 de outubro de 1995, quando o bispo Von Helder, da Igreja Universal do Reino de Deus, agrediu a imagem de uma santa católica com socos e pontapés, em um programa televisivo exibido em rede nacional. Este fato causou azáfama entre os católicos e repercutiu fortemente nos meios sociais do país. Vale lembrar que o nosso país não possui ainda um conselho religioso interconfessional a nível nacional. 
 

Hugo Alexandre Espínola Mangueira

Mestrando em Ciências das Religiões pela UFPB-Brasil 
 

Publicado por Re-ligare às 01:35
Link do post | Comentar | Favorito
7 comentários:
De anónimo a 7 de Maio de 2009 às 03:46
Seu texto diz «No entanto, verifica-se um crescimento dos conflitos religiosos no Brasil desde a agressão ocorrida na véspera do dia 12 de outubro de 1995, quando o bispo Von Helder, da Igreja Universal do Reino de Deus, agrediu a imagem de uma santa católica com socos e pontapés, em um programa televisivo exibido em rede nacional.»

A violência inter-religiosa só começou a crescer a partir desse facto? ó diabo... então a IURD é mesmo a causadora da onde de violência??? É a sua inspiradora? A IURD é a maldita causa do crescimento da violência???
De Hugo a 9 de Maio de 2009 às 00:43
Prezado "anónimo", o texto não afirma essa sua tese. Não foi objeto do artigo analisar as causas do crescimento dos conflitos. O que consta no artigo é que, desde o fato narrado (1995), verificou-se um crescimento dos conflitos. Esta leitura extensiva, sem base no texto, é sua!
De João Pedro Robalo a 21 de Maio de 2009 às 00:23
Caro Hugo

Toda a violência religiosa é incompreensível, condenável e sem qualquer justificação.
No entanto não posso de deixar de ironizar um pouco com a relação feita entre a agressão à santa Católica e o crescimento destes actos irreflectidos.
A santa que foi agredida queixou-se? Sentiu-se ofendida? Teve de receber tratamento hospitalar?
Não me leve a mal, quando assisti na Tv ao acto "louco" do tal "pastor" também fiquei perplexo e não gostei. Mas parece-me que tal agressão será mais na esfera dos sentimentos de todos os que são devotos da tal Santa - desculpe não saber qual o nome dela - do que á própria
Espero e desejo que este clima seja passageiro e que se discuta mais as ideias, opiniões e diferenças em vez de se agredir injustificadamente.

Bem-haja

João Pedro (aluno de Ciência das Religiões ULHT Lisboa, Portugal)
De Hugo a 23 de Maio de 2009 às 17:16
Prezado João Pedro,
Como você mesmo disse, "toda a violência religiosa é incompreensível, condenável e sem qualquer justificação".
Portanto, o fato de uma imagem, símbolo ou livro, utilizado por uma religião, não ser importante para alguém, não dá a este o direito de ofença. Aqui, não importa se a agressão se faz "mais na esfera de sentimento dos devotos".
O fato é que algo precisa ser feito para a diminuição da violência religiosa. Acho que o respeito só virá com o combate à ignorância religiosa, ou seja, à ausência de conhecimentos sobre as diversas religiões que a sociedade possui. Neste sentido, o ensino religioso nas escolas precisa evoluir para um "estudo" sobre as religiões e seus valores, sem proselitismos.
Veja o que aconteceu na Grécia:
"22/05/2009 - 19h16 - Protesto por desrespeito ao Alcorão gera quebra-quebra na Grécia (Folha Online) -
Manifestantes muçulmanos e policiais entraram em confronto em frente ao Parlamento grego, em Atenas, nesta sexta-feira. Os manifestantes atacaram os policiais com paus e pedras, e a polícia reagiu com bombas de gás lacrimogêneo e efeito moral. Lojas e veículos foram alvo de vandalismo. Cerca de 30 civis ficaram feridos e 15 foram presos.
O tumulto começou com um protesto convocado pela União Muçulmana da Grécia por causa da destruição de um exemplar do Alcorão pertencente a um imigrante durante revista policial. Fotos do Alcorão rasgado foram divulgadas pela polícia, que abriu sindicância sobre o caso e ainda não sabe informar as circunstâncias em que o incidente aconteceu. (...)"
Fraternalmente,
De Daniel Dias a 17 de Setembro de 2010 às 04:08
conflitos religiosos sempre existiram e vao continua existindo; quanto ão fato em si onde uma suposta pastora agride um ser humano independente de religiao ja e lamentavel , porque o que nos esperamos de uma religiao e o encinamento do amor , da paz , da uniao ; essa pastora nao deu um bom exemplo . quanto ão pastor que chutou a imagem , foi infeliz no seu ato e na maneira de expressar sua ideia , ele num queria ofeder niquem ; nos sabemos que todas as igrejas evangelicar tem como incino basico , que as pessoas nao deve adora, prostar e venerar imagens de qualquer espece , isso num pode ser considerado uma agresão
De Camila Solar a 29 de Novembro de 2010 às 10:23
Não consigo compreender como vocês conseguem afirmar que o pastor não tinha o intuito de ofender ninguém. Ora, a partir do momento em que ele sabe que aquela imagem representa uma santa de uma outra religião, a qual milhares de pessoas são devotas, sua atitude foi sim um ato de ofensa. A intolerância religiosa começa daí, afinal sabemos que as religiões de um modo geral exercem grande influência de opinião nos seus fiéis, e se um representante da igreja, como é o caso desse pastor, age de tal maneira, está dando margem para que seu "rebanho" aja da mesma forma, afinal, ser Pastor, Padre ou o que for, é também dar exemplos. O fato é que enquanto não houver diálogo, (diálogo não significa unificação de igrejas e religiões, nem mistura de crenças e
cultos. Ao dialogar, cada um recria ou mantém sua identidade própria; as diferenças religiosas não são escondidas, e nem é deixada de lado a crítica fraterna mútua. Justamente por isso tem o nome de “Diálogo”, porque é feito entre quem é diferente e se respeita) entre as igrejas, vai ser difícil os valores pregados por elas como paz, amor e etc se refletirem na sociedade. NÃO EXISTE IGREJA CERTA OU ERRADA...O IMPORTANTE É QUE HAJA RESPEITO ENTRE TODAS AS RELIGIÕES E QUE ELA FOQUEM NO OBJETIVO DE CADA UMA, QUE ACREDITO EU SER TRANSMITIR A PALAVRA DE DEUS.
De jose adriano nogueira monteiro a 25 de Junho de 2012 às 23:22
em vez de ficarem discutindo assuntos desnecessarios seriamais interessante procurar formr penssamentos em como se unir pra que esses incidentes nao chegasse a esse nivel posso dizer com certeza se as pessoas perdesse mais tempo em ter intimidade com DEUS ISSO NAO ACNTECERIA todo ser humano cria teses e acha que esta certo e se esquece de que normas e regras, keis ja foram criadas pra ser obedecidas e quem as criou foi o proprio DEUS quem as obedece nao se preocupa com coisas banais criadas pr seres humanos

Comentar post

.Mais sobre Ciência das Religiões

.Pesquisar

.Posts recentes

. Ψυχή, Psychē e Fado

. A PRESENÇA AUSENTE (três)...

. A CULTURA QUE NOS REDEFIN...

. Música e Emoções - Romant...

. Biomusicologia – Definiçã...

. Natal, naTAO

. Encontro com Manuel Frias...

.Arquivos

.tags

. todas as tags

.Links

.Links

blogs SAPO

.subscrever feeds