Quarta-feira, 12 de Setembro de 2007

Aquando da visita de SS o Dalai Lama: do Budismo Tibetano - duas cidades

Lassa, o Potala

    

O Potala, o palácio-fortaleza dos Dalai Lamas, sobre a cidade de Lassa, está situado a mais de 3.600 metros acima do nível das águas do mar.

Durante mais de trezentos anos, desde o século XVII, este conjunto altamente complexo de salas, corredores, galerias, escadarias, foi mosteiro, sede do poder espiritual, e sede de governo.

Diz a tradição que o Potala foi construído de forma sobrenatural numa única noite. Historicamente, o Potala foi começado a construir no século VII quando o rei guerreiro Songtsen Gampo ocupou e construiu um palácio sobre a chamada colina Vermelha.

Destruído e reconstruído várias vezes, o actual edifício foi iniciado no tempo do quinto dalai lama, Lobsang Gyatso (1617 – 1682). Foi usada tanta matéria-prima, retirada imediatamente atrás da construção, que o declive resultante criou um lago artificial que hoje tem o nome de lago do Rei Dragão.

Por volta de 1648 o «Palácio Branco», exterior ao complexo, estava concluído no seu essencial. Em 1694, já 12 anos após a morte do dalai lama que o mandara edificar, o «palácio Vermelho» estava também pronto para receber o centro religioso do pais.

Os dalai lamas são, segundo as crenças do budismo tibetano, a encarnação de Bodhisattva Avalokitshvara, a personificação budista da compaixão, o Senhor da Compaixão.

Alguns dos dalai lama estão sepultados no interior do palácio, fazendo crescer a aura de sacralidade do local.

O décimo quarto Dalai Lama tinha apenas 16 anos quando o Tibete foi ocupado pela China. A sua fuga, em 1959, tornou-se num dos mais simbólicos actos da resistência contra a anexação chinesa.

Actualmente, o Potala é um Museu Nacional com administração chinesa. Alguns dos seus guias são antigos monges. 

           

Dharamsala

Situada nas terras baixas da cordilheira de Dhauladhar, a cidade divide-se em duas partes: a baixa e a alta. A segunda, conhecida como McLeodgang, baptizada com o nome do tenente britânico governador do Penjab em 1848, é actualmente uma colónia tibetana.

Aqui se encontra o governo no exílio do Tibete, desde que em 1959 este foi invadido pela China. Assim, a cidade é a morada do dalai-lama, o 14º, de seu nome

Várias são as construções, administrativas e sagradas dos tibetanos de Dharamsala. O ponto principal desta comunidade é o Complexo de Tsuglagkhang, que inclui a residência do dalai-lama.

O Mosteiro de Namgyal, o Templo de Tsuglagkhang, o Insituto Tibetano de Artes do palco, O Instituto Norbulinggka, que promove as artes tradicionais do Tibete, a Biblioteca e Arquivo Tibetanos e o Instituto de Medicina Tibetana, são alguns dos mais importantes locais onde se preserva e se difunde a cultura tibetana para todo o mundo.

     

Paulo Mendes Pinto

Director da Lic. em Ciência das Religiões

    

Feito com base no nosso livro, em conjunto com Francisco Moura, Itinerários de Fé (Medialivros, 2004).

Publicado por Re-ligare às 22:20
Link do post | Comentar | Favorito

.Mais sobre Ciência das Religiões

.Pesquisar

.Posts recentes

. Ψυχή, Psychē e Fado

. A PRESENÇA AUSENTE (três)...

. A CULTURA QUE NOS REDEFIN...

. Música e Emoções - Romant...

. Biomusicologia – Definiçã...

. Natal, naTAO

. Encontro com Manuel Frias...

.Arquivos

.tags

. todas as tags

.Links

.Links

blogs SAPO

.subscrever feeds